DESTAQUE:
print this page
Última Postagem:

Ex Vereador de Acrelândia e preso com mais de 100 quilos de pasta base de cocaína .

Uma operação conjunta das Polícias Federal e Militar prendeu duas pessoas acusadas de tráfico de drogas, na noite desta quinta-feira (9). Com os acusados, a polícia apreendeu mais de 100 quilos de pasta base de cocaína, no quilômetro 23 de Sena Madureira a Manoel Urbano.
dograsena10-07-15
Policiais conseguiram apreender mais de 100 quilos de pasta base de cocaína/Foto: ContilNet
A droga estava vindo de Cruzeiro do Sul dentro de um carro de passeio e seria distribuída em Rio Branco.
Segundo informações da polícia, os acusados tentaram esconder a droga em um matagal após avistarem as viaturas policiais, mas acamabram presos em flagrante.
acusadosdrogasena
Ex Vereador de Acrelândia Nonato Rocha.
Acusados foram conduzidos à sede da Polícia Federal
O motorista e passageiro, que não tiveram os nomes revelados, foram encaminhados à sede da Polícia Federal, em Rio Branco, para lavrar o flagrante. Os dois serão levados ainda nesta sexta-feira (10) para o presídio Francisco D'Oliveira Conde.










drogasena2-09-07-15
0 comentários

Justiça determina prisão de pai que abusava sexualmente de filha em Acrelândia

O Ministério Público do Estado do Acre (MP/AC), por meio da Promotoria de Justiça de Acrelândia, obteve a prisão preventiva, por parte da Comarca de Acrelândia, de Antônio Nilson Ribeiro Lopes, conhecido como ‘Bunda Baixa’, pelo crime de abuso sexual à própria filha de nove anos de idade. A denúncia foi levada ao MP AC pelo Conselho Tutelar da cidade.
Durante as investigações, após a oitiva de testemunhas e realização de perícia, constatou-se que a criança vinha sofrendo abuso sexual desde o ano passado pelo seu genitor. Antônio Nilson Ribeiro Lopes foi preso nesta terça-feira (6), em sua residência. Segundo constam nos autos, os abusos sexuais ocorriam quando a vítima se preparava para cortar castanha ou açaí e a mãe estava dormindo. Após a mãe e avó materna descobrirem a prática do crime de estupro de vulnerável por parte de Antônio, sofreram ameaças de morte por parte do acusado. O MP AC denunciou Antônio Nilson Ribeiro Lopes como incurso no Código de Processo Penal e pediu a condenação do denunciado, a reparar os danos pela infração pena, nos termos dos artigos 387, IV, do Código de Processo Penal, além do encaminhamento da vítima para atendimento multidisciplinar das áreas psicossocial e saúde. O processo tramita em segredo de Justiça.
0 comentários

Financiamento para plantação de açai em Acrelândia .


Produtores e Empresário de Acrelândia
 Vereadores  e empresários e produtores rurais de Acrelândia, participaram de uma reunião com representantes da  Global e a indústria do Acre, Árvores, que apresentaram,  nesta quinta-feira (07), um projeto que vai financiar o plantio de açaí na região .  O projeto teve início há quatro anos  na região do vale do Acre e tem como objetivo incentivar os proprietários de terras de todo estado a plantar o açaí para a industrialização.
A Superfutrits Global atua há 20 anos na Bolívia com a produção e exportação do açaí em pó. Agora a empresa trabalha na expansão de seus negócios com a construção de duas novas indústrias. Uma no Pará, que já está em funcionamento, e outra no Acre, que será construída a partir de 2015.
Para a implantação da empresa boliviana no Acre, é preciso ampliar a capacidade de produção. Para isso, a empresa Árvores, criada há quatro anos e que trabalha na produção de popas, se propõe a apoiar os produtores no plantio de mudas.





O presidente da Câmara Vereador Nerecil em sua fala disse que a abertura de credito dado pelo Banco da Amazônia ao produtor Rural de Acrelândia irá trazer mais beneficio para a população de Acrelândia, assim trazendo novos empregos e novas chances para os produtores do município, disse também que fica muito agradecido pelo Banco da Amazônia acreditar no desenvolvimento de Acrelândia, já que o município e um dos grandes produtores de Banana e Café e leite, e que o município pode vim  a produzir o açai, já que o Município e conhecido pela sua grande fartura em plantação, tem uma terra muito boa e fértil, e agradece o Governo do Estado do Acre pela iniciativa , pois sempre vem investindo e acreditando no desenvolvimento de Acrelândia  concluiu sua fala.
 A plantação do açaí pode ser consorciada com outras culturas, a exemplo do guaraná. Todavia, ó produto tem se tornado no agronegócio de maior viabilidade econômica. Isso acontece devido a grande procura nos mercados da Europa, Estados Unidos e da Ásia.
O custo para o cultivo do açaí é de 13 mil por hectares e a produção começa a partir do 4º ano do plantio. O retorno é de 15 mil por ano, por cada hectare. Os produtores terão o apoio do Banco da Amazônia que disponibiliza linhas de financiamento para o fortalecimento da cadeia produtiva.
Os participantes da reunião demonstraram otimismo com o projeto. Muitos demonstraram interesse em começar a plantar açaí..
Redação : Jhonatas Carvalho.
Acrelândia Manchete 07/05/2015
0 comentários

Cezarinete Angelim e Denise Bonfim assumem presidência do Tribunal de Justiça do Acre.

Eleitas pela Corte de Justiça Acreana no dia 26 de novembro do ano passado para integrar a administração do TJ-AC no biênio 2015-2017, as desembargadoras Maria Cezarinete Angelim e Denise Bonfim foram empossadas na noite desta sexta-feira, 06, durante sessão no Pleno do TJ, com a presença de várias autoridades, entre elas a vice-governadora do Acre, Nazaré Araújo, que representou Sebastião Viana.
Cezarinete Angelim e Denise Bonfim assumem presidência do Tribunal de Justiça do AcrePrestigiadas por um plenário repleto de autoridades, as desembargadoras foram saudadas por colegas do Judiciário, familiares, membros do MP e da Ordem dos Advogados do Brasil.
O chefe do Ministério Público Estadual, procurador Oswaldo D’Albquerque, lembrou que pela primeira vez o Judiciário do Acre terá três mulheres no comando. “Pela primeira vez três mulheres assumem os mais importantes cargos da magistratura”, lembrou.
O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Acre, Marcos Vinicius Jardim Rodrigues, que no inicio de sua carreira assessorou Cezarinete Angelim, quando a magistrada ainda era juíza, disse que o Tribunal de Justiça estará em boas mãos nesses próximos dois anos e colocou a OAB à disposição do Judiciário.
“Nesse momento histórico tenho certeza que essas três mulheres valorosas, essas três rainhas da magistratura acreana, conduzirão esse Judiciário com muita maestria”, ressaltou Marcos Vinicius.
Em seu discurso, bastante emocionada, Cezarinete Angelim lembrou as palavras de Jesus citando as Escrituras Sagradas e disse que vai honrar a confiança nela depositada.
“Como disse o Mestre Jesus: sem mim nada podeis fazer. E é nele que deposito minha confiança. Agradeço aos meus familiares, aos membros do Judiciários, a Defensoria, a OAB. Tudo farei para honrar a confiança que me é depositada”
DSC_0420
Autoridades do Judiciário, Legislativo, Executivo e Ministério Público prestigiaram a solenidade
Representando o governador Sebastião Viana, a vice-governadora Nazaré Araújo, destacou a importância do novo ciclo que se inicia no TJ enfatizando as mulheres no comando. “É a renovação. A cada dois anos a presidência do Tribunal de Justiça se renova e a gente fica feliz pelas mulheres, as três mulheres que vão conduzir o Judiciário. Mulheres que tem uma história de vida bonita. Então é muito bom saber que elas irão conduzir por esses dois anos o Tribunal de Justiça do nosso Estado”, disse.
A nova direção do Tribunal de Justiça do Acre, empossada nesta sexta-feira, será composta ainda pela desembargadora Regina Ferrari, que na mesma eleição ocorrida em novembro de 2014 foi eleita pelos seus pares como corregedora geral da Justiça.
Pela primeira vez, uma sessão de posse foi transmitida ao vivo pela internet.
Desembargadora Cezarinete Angelim
DSC_0444Maria Cezarinete de Souza Augusto Angelim é natural de Rio Branco (AC). Formou-se em Direito pela Universidade Federal do Acre, na turma de 1978, e ingressou na Magistratura Acreana em 18 de março de 1988. Atualmente cursa MBA em Gestão do Poder Judiciário, pela Fundação Getúlio Vargas – FGV/Rio.
Em 19 de março de 1990 foi promovida à Juíza de Direito Titular da Comarca de Cruzeiro do Sul. Na mesma época, de 9 de fevereiro de 1989 a 3 de março de 1991, também exerceu a função de Juíza Eleitoral da 4ª Zona Eleitoral (Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves e Porto Walter). Posteriormente, entre 5 de maio de 1994 e 27 de fevereiro de 1996, exerceu a função de Juíza Eleitoral da 1ª Zona Eleitoral do Estado (Rio Branco).
Na data de 9 de março de 1995 foi promovida à Juíza de Direito de Segunda Entrância. Foi integrada à Entrância Especial em 29 de fevereiro de 1996. Desde essa data é titular da 2ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco.
Ao longo da sua atuação como magistrada, a Juíza foi designada para implantar e coordenar o Sistema do Juizado Especial Cível, Turmas Recursais, Justiça Volante e Justiça Sobre Rodas no Estado do Acre; atuou como coordenadora geral dos Juizados Especiais Cível e Criminal do Estado do Acre; e coordenadora do concurso público para provimento de cargos efetivos do quadro permanente de 1ª e 2ª Entrâncias, bem como da Secretaria do Tribunal de Justiça do Estado do Acre (1995).
Também foi responsável técnica pela implantação da Justiça Volante do Estado do Amazonas; atuou como supervisora didática da Escola Superior da Magistratura do Estado do Acre – ESMAC, entre os anos 1997 e 1999; e no ano de 2001 idealizou o Programa Mutirão da Conciliação/Programa Conciliar, do qual é coordenadora desde 2002.
No período de 1999 a 2002, atuou como membro efetivo da Turma Recursal Única dos Juizados Especiais do Estado do Acre. Já entre 2002 e 2004 atuou como membro efetivo da 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais do Estado. De 2000 e 2002 também atuou como membro efetivo do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Acre – TRE/AC.
Na Associação dos Magistrados do Acre – ASMAC, Maria Cezarinete foi diretora social da entidade, de 1994 a 1996; primeira vice-presidente, entre 2001 e 2002; exerceu a presidência no biênio 2003-2005; e atualmente é membro do Conselho da Comissão de Prerrogativas da Associação (2011-2012). No âmbito da Associação dos Magistrados Brasileiros – AMB, a Juíza atuou como membro do Conselho Fiscal (2004-2007) e atualmente é assessora da Presidência da Associação (2010-2012).
Em reconhecimento a sua atuação como magistrada, Cezarinete Angelim já foi condecorada com o Título Honorário de Cidadã Cruzeirense, concedido pela Câmara de Vereadores de Cruzeiro do Sul, e com a Comenda da Ordem da Seringueira, no grau Comendador, conferida pela Prefeitura Municipal de Rio Branco. Tomou posse como Desembargadora do Tribunal de Justiça do Acre, em 13 de janeiro de 2012, tornando-se membro da Câmara Cível e, atualmente, exerce a função de vice-presidente do TJAC.
Desembargadora Denise Bonfim
DSC_0457Filha de Ariolino Aquino Bonfim e Erato Maria de Belém Castelo Bonfim (Dona Ziza), Denise Castelo Bonfim é natural de Rio Branco (AC), tem 46 anos.
É graduada em Letras-Inglês, pela Universidade Federal do Espírito Santo, e em Direito, pelo Centro Superior de Ciências Sociais de Velha Velha (ES), onde foi diplomada no ano de 1986, com apenas 19 anos. Possui MBA em Poder Judiciário, pela Fundação Getúlio Vargas (2008).
Durante o ano de 1992, exerceu advocacia na cidade de Vila Velha, até ser nomeada assessora da Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Acre.
Iniciou sua trajetória na magistratura acreana em 9 de dezembro de 1993, quando foi empossada no cargo de juíza de Direito substituta, tendo iniciado suas atividades na 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco. No ano seguinte, atuou na 4ª Vara Criminal da Comarca da Capital e, em março de 1994, foi designada para responder pela Comarca de Sena Madureira.
Em 1995, atuou na 1ª Vara Cível da Comarca de Rio Branco e na Comarca de Senador Guiomard. Durante esse ano, também exerceu suas atividades na atual Vara de Registros Públicos da Capital. No mesmo período, Denise Bonfim foi indicada para compor a Comissão do Concurso de Servidores do TJAC, na qualidade de Coordenadora Adjunta, quando também foi designada para atuar junto ao Projeto Cidadão.
Durante sua trajetória como magistrada, respondeu, ainda, pelas 4ª e 5ª Varas Criminais de Rio Branco, pela 2ª Vara Cível, e pelo Juizado Especial Cível, todas unidades da Capital.
Em agosto de 1996, Denise Bonfim foi empossada no cargo de Juíza de Direito de 2ª Entrância da Comarca de Sena Madureira, após processo de promoção pelo critério de antiguidade.
Já no ano de 1997, exerceu sua jurisdição nas Comarcas de Senador Guiomar e Capixaba. Posteriormente, em 1999, entrou em exercício na Vara de Delitos de Tóxico e Acidentes de Trânsito de Rio Branco. No mesmo ano, foi promovida, por antiguidade, ao cargo de juíza de Direito de Entrância Especial da Vara de Execuções Penais da Comarca de Rio Branco.
Após processo de remoção, em 10 de março de 2000, a juíza tomou posse na 2ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco. Entre os anos 2000 e 2006, a juíza atuou como membro suplente e titular das Turmas Recursais dos Juizados Especiais do Estado.
Atuou, ainda, em 2001, no Juizado Especial Criminal da Capital e nas Comarcas de Capixaba, Acrelândia, Plácido de Castro e Senador Guiomard. No ano de 2003 também exerceu suas atividades na 3ª Vara Criminal de Rio Branco, em 2004 exerceu a Diretoria do Foro de Rio Branco e, em 2006, atuou na Vara do Tribunal do Júri da Capital.
No Tribunal Regional Eleitoral do Acre, Denise Bonfim também foi membro efetivo da classe de juiz de Direito, durante os biênios 2007-2009 e 2009-2011. Nesse período, entre fevereiro e abril de 2011, atuou como Corregedora Regional Eleitoral.
Foi empossada como desembargadora do Tribunal de Justiça do Acre em sessão solene realizada no dia 27 de julho de 2012, tornando-se membro da Câmara Criminal.
Atualmente é a Presidente da Câmara Criminal do TJAC (biênio 2013-2015) e ocupou  cargo Juiz-Membro da classe de Desembargador do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (biênio 2013-2015).
0 comentários

Popularidade de Dilma despenca de 42% para 23%, diz Datafolha

Avaliação negativa da presidente teve efeito inverso; saltou de 24% para 44%.SÃO PAULO - Com o escândalo da Petrobras e a piora na expectativa em relação à economia, a popularidade da presidente Dilma Rousseff (PT) despencou e atingiu a pior marca de seu governo; caiu de 44% (avaliação de governo bom/ótimo) em dezembro para 23% em fevereiro, segundo o Datafolha. Em contrapartida, os entrevistados que avaliam o governo como ruim/péssimo subiram de 24% para 44%. O número dos que acham a administração petista regular permaneceu em 33%.
Segundo o instituto, é a pior avaliação de um presidente desde dezembro de 1999, quando Fernando Henrique Cardoso tinha 46% de rejeição (ruim/péssimo).
Após quatro anos de governo, Dilma, de acordo com o Datafolha, obteve a primeira "nota vermelha" de sua gestão; uma média de 4,8.
Avaliações de Alckmin e Haddad também em queda
Com o agravamento da crise hídrica, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teve queda de dez pontos percentuais na popularidade; de 48% em outubro passado para 38% em fevereiro, chegando ao mesmo índice de junho de 2013, quando eclodiu no país as manifestações de rua.
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), também empatou com a presidente Dilma Rousseff no que diz respeito a avaliação negativa; 44% dos entrevistados avaliaram a gestão petista na capital paulista como ruim ou péssima.

Acrelândia Manchete. 08/02/2015
0 comentários
 
Traduzido Por : Template Para Blogspot Copyright © 2011. ACRELÂNDIA EM MANCHETE - All Rights Reserved
Proudly powered by Blogger